Quem Somos

Conheça um pouco da Credicitrus

Somos uma cooperativa de crédito de livre admissão.

Oferecemos aos associados um amplo portfólio de produtos e serviços financeiros para pessoas físicas e jurídicas.

Diretoria e Conselho

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Marcos Lourenço Santin – Presidente

Maria Tereza de Souza Lima Uchôa – Vice-Presidente

Antonio Julio Junqueira de Queiroz – Vogal

Carlos Eduardo Porto Miglino – Vogal

Claudemir Strachicini – Vogal

Maria Áurea Trindade Lopes Poleselli – Vogal

Raul Huss de Almeida – Vogal

Siguetoci Matusita – Vogal

CONSELHO FISCAL

Antonio Luiz Sant ´Anna – Efetivo

Fernando Moura Botti – Efetivo

Marcos Antonio Mutton Jr. – Efetivo

Carlos Eduardo Prudente Correa Jr. – Suplente

Charles Alecsander Teixeira- Suplente

Osmar Nunes Ferraz – Suplente

DIRETORIA EXECUTIVA

Walmir Fernandes Segatto – Diretor-presidente Executivo

Domingos Sávio Oriente Franciulli – Diretor Comercial

Marcelo Antônio Soares – Diretor de Operações

Marcelo Martins – Diretor de Tecnologia e Gestão

Ser a principal instituição financeira do nosso cooperado mantendo a liderança no sistema cooperativista de crédito.

Atender as necessidades dos cooperados com soluções financeiras inovadoras e confiáveis, estimulando a economia colaborativa e contribuindo para o desenvolvimento da comunidade.

Constituem-se na base ética da Sicoob Credicitrus, em seu relacionamento com os públicos interno e externo: Responsabilidade Social, Transparência, Diversidade, Inovação, Solidez e Agilidade.

Cooperativismo promove desenvolvimento humano – O cooperativismo de crédito proporciona benefícios diretos e indiretos para todos: o cooperado, sua família, seus empregados e a comunidade em que vive. Gera empregos, renda e progresso, e contribui para a distribuição das riquezas geradas nas localidades em que está presente.

Tudo no cooperativismo é feito às claras, com informações abertas e acessíveis a todos os associados, em benefício da segurança e da racionalidade de suas decisões.

Capacidade de atender, com a mesma eficiência e igual atenção para todos, as necessidades e os interesses de pessoas físicas e jurídicas dos mais variados ramos de atividade.

Firme no presente com os olhos no futuro – A busca de novas soluções e de melhorias contínuas, sempre tendo como alvos o benefício do cooperado e o fortalecimento da Cooperativa tem sido uma das características mais marcantes da permanente evolução da Credicitrus.

Base forte garante crescimento contínuo – Resultado de cuidadoso planejamento e práticas alicerçadas em regras operacionais rígidas, a solidez é a base essencial para a Cooperativa enfrentar dificuldades, vencer desafios e prosseguir em expansão, fortalecendo continuamente a confiança do cooperado.

Colaboradores treinados e comprometidos com o modelo de negócios cooperativo, apoiados pela mais avançada tecnologia e processos constantemente atualizados, asseguram atendimento rápido e descomplicado a todas as demandas dos cooperados.

Nossa História

A Credicitrus foi fundada em 14 de setembro de 1983 por 24 produtores rurais dos municípios de Bebedouro e Monte Azul Paulista, no interior de São Paulo, sob a liderança de Walter Ribeiro Porto e Leopoldo Pinto Uchôa.

Foi constituída com o objetivo inicial de atuar como braço financeiro da Coopercitrus (então Cooperativa dos Cafeicultores e Citricultores de São Paulo, hoje Cooperativa de Produtores Rurais), fundada sete anos antes, que já era uma das maiores e mais fortes cooperativas agropecuárias do Brasil.

Walter Ribeiro Porto foi o primeiro presidente da Credicitrus e permaneceu no cargo até sua morte, em outubro de 2000. Foi sucedido por Leopoldo Pinto Uchôa, que desde a fundação era o principal executivo da nova cooperativa, como diretor de Crédito Rural e depois vice-presidente. Ocupou a presidência até seu falecimento, em abril de 2008.

Raul Huss de Almeida foi o sucessor de Leopoldo Pinto Uchôa na presidência do Conselho de Administração e da Diretoria Executiva da Cooperativa, acumulando os dois cargos até 2014, quando foi adotado um novo modelo de governança, em linha com as melhores práticas de gestão do mercado financeiro. O Conselho de Administração e a Diretoria Executiva passaram a atuar de forma complementar: o Conselho, eleito pelos cooperados em Assembleia Geral Ordinária, define as diretrizes estratégicas e a Diretoria, cujos membros são contratados especificamente para os respectivos cargos, responde por sua aplicação no dia a dia.

Após essa mudança, Raul Huss de Almeida permaneceu na presidência do Conselho até 2018 e Siguetoci Matusita assumiu a presidência da Diretoria Executiva.

Em 2018, Marcos Lourenço Santin foi eleito para a presidência do Conselho, com mandato até 2022, e Walmir Fernandes Segatto foi contratado como diretor-presidente executivo, tendo sob seu comando as Diretorias Comercial, de Operações e de Tecnologia e Gestão.

PERFIL DOS ASSOCIADOS

Sua denominação original foi Cooperativa de Crédito Rural de Bebedouro, substituída em 1984 por Cooperativa de Crédito Rural Coopercitrus, com a sigla Credicitrus. Era voltada apenas ao atendimento das necessidades financeiras dos produtores rurais.

Em 2010, denotando sua vinculação ao Sistema Brasileiro de Cooperativas de Crédito, adotou a sigla Sicoob Credicitrus. Nesse ano, foi autorizada pelo Banco Central a admitir como associados pessoas físicas e jurídicas de outros segmentos, como engenheiros agrônomos, veterinários, zootecnistas, médicos e demais profissionais de saúde, além de micro e pequenos empresários.

Em 2015, atendendo a orientação do Banco Central, passou a ser de livre admissão, permitindo a associação de pessoas físicas e jurídicas de qualquer ramo de atividade.

Modelo de negócios vencedor

INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS TRADICIONAIS X COOPERATIVAS

A instituição financeira tradicional pertence a um pequeno número de sócios, que buscam o máximo lucro sobre o capital investido. O lucro vem dos juros, tarifas e encargos que incidem sobre as operações e movimentações dos clientes.

 No modelo tradicional, os clientes não têm poder de decisão sobre a atuação da instituição: apenas utilizam seus produtos e serviços e pagam o preço fixado.

 Nas cooperativas financeiras, a relação é diferente. O associado é, ao mesmo tempo, cliente e coproprietário e obtém vantagens nas duas condições.

 Como coproprietário, adquire um certo número de cotas de capital ao ingressar na cooperativa, e pode adquirir ou incorporar novas cotas ao longo do tempo.

 Com suas cotas, fortalece a organização que lhe pertence de forma compartilhada com os demais cooperados e cria uma reserva financeira, corrigida e valorizada todos os anos, que poderá resgatar no futuro.

 Como a cooperativa não tem fins lucrativos, os custos de todas as operações que realiza são inferiores aos de mercado.

 Essa diferença explica o crescente sucesso do modelo cooperativista no mundo.

A força do sistema no Brasil

1.100 cooperativas de crédito em todo o Brasil

6 sistemas: Sicoob (o maior, com 491 cooperativas singulares, 16 centrais e 3,4 milhões de associados), Sicredi, Unicred, Cecred, Confesol e Uniprime.

Em conjunto, representam a sexta maior instituição financeira do mercado – atrás de Banco do Brasil, Itaú, Caixa Econômica Federal, Bradesco e Santander.

R$ 2,4 bilhões em operações de crédito em 2016